LEIA ANTES DE ACESSAR O CONTEÚDO

Este blog tinha como objetivo, apenas de ser um complemento para alunos do ensino médio, no que refere as Ciência Humanas AGORA também estaremos postando aulas com assuntos das Ciências Natureza (Biologia, Química e Física).


21/02/2013

2ª Série EM = 1º BIMESTRE

1ª semana aulas: 01 e 02 (30/01 à 03/02 de 2012)

Assunto: Demografia: Noções Preliminares

Objetivos da Aula:
- Conceituar e apresentar etimologicamente o significado da plavra demografia
- Apresentar o conceito de população, distiguindo do conceito de população no sentido biologico
- Apresentar as variáveis que determinam o tamanho, a distribuição e a estrutura da população de forma geral, e especifíca de cada população.
- A presentar o objetivo de estudo da Demografia 


Olá meus amigos! Tudo bem? Hoje faremos uma breve esplanação a respeito da dinâmica da populacional mundial, conteúdo que costumeiramente e cobrado nos principais vestibulares do Brasil, e na prova do ENEM. Iniciaremos nossa aula com a algumas definições:

1.1: Etimologia
Demografia (dêmos=população, graphein=estudo) refere-se ao estudo das populações humanas e sua evolução temporal no tocante a seu tamanho, sua distribuição espacial, sua composição e suas características gerais. Em estatística, usualmente a palavra população indica um conjunto de elementos com características comuns. Por exemplo: um conjunto de parafusos poderia constituir uma população.

Obs.: A palavra demografia foi usada pela 1ª vez em 1855 por um belga chamado Achille Guillard. Do grego:
                                DÊMOS = POPULAÇÃO
                                GRÁPHEIN = ESCREVER / DESCREVER / ESTUDAR
Portanto, o objetivo da Demografia é analisar populações humanas e suas características gerais.

Quais aspectos da população são o campo de estudo da Demografia? A segunda definição é mais específica.

1.2: Conceito
Demografia formal é o estudo de populações humanas em um determinado momento com relação ao tamanho, a distribuição e a estrutura da população. A demografia formal também analisa as mudanças que ocorrem na população ao longo do tempo, principalmente o crescimento populacional. A maior ou menor ocorrência de nascimentos, óbitos e migrações são as causas básicas do crescimento populacional. Assim, há interesse em estudar dois tipos de variáveis demográficas. Um grupo de variáveis descreve algumas características de interesse da população. Referem-se a um determinado espaço geográfico e a um instante específico do tempo, por isso, compõem a análise estática da população.
São elas:
- TAMANHO da população é simplesmente o número total de pessoas na população.

- DISTRIBUIÇÃO da população é o número de pessoas na população por unidade geográfica ou por situação do domicílio (rural; urbano).

- ESTRUTURA ou COMPOSIÇÃO, isto é, o volume da população=  o número de pessoas na população por sexo (masculino; feminino) e/ou por grupo de idade (em geral, de 5 em 5 anos). Nela é estudada a composição etária e a composição por sexo da população, indiretamente estuda-se a expectativa de vida (além da taxa de crescimento vegetativo) e a estrutura ocupacional da população (divisã por setores = População Economicamente Ativa = PEA, População Economicamente Inativa= PEI e a população ocupada) e ainda a divisão do trabalho pelo sexo . Pode-se compreender também o tipo de regime demográfico, que se formou a partir da análise dessa estrutura populacional, que pode ser Jovem, com tendência para envelhecer, isto é, adulta, e a idosa.


Observações:
As demais variáveis, NATALIDADE, MORTALIDADE e MIGRAÇÃO, referem-se a um determinado espaço geográfico e a um determinado período de tempo.
IMPORTANTE: Por isso, na análise demográfica formal, também é estudada a inter-relação entre as variáveis da análise estática e da dinâmica demográfica.

    INTERRELAÇÃO DAS VARIÁVEIS DEMOGRÁFICAS

1) Por um lado, a natalidade, a mortalidade e a migração são fatores que modificam a população.
Exemplo: a manutenção de uma natalidade alta leva a uma população predominantemente jovem;

2) Por outro lado, esses fatores modificadores dependem fortemente dos aspectos gerais da população.




Exemplo: em uma população velha morrem relativamente mais pessoas

3 Estudos populacionais abrangem as variáveis demográficas e também características étnicas, sociais e econômicas da população como desemprego, educação, saúde, etc. Portanto é um campo multidisciplinar, compreendendo disciplinas como economia, sociologia, antropologia, direito, política, epidemiologia, etc.

1.3: Objeto de estudo:
 tamanho, distribuição, estrutura  ou composição e movimento  das diversas populações humanas

AVISO IMPORTANTE: em nosso próximo artigo, vamos falar sobre cada um dos caracteres estudados na demografia que é  tamanho, a distribuição e a estrutura da população. Até a proxima. Valeu pessoal. Bons estudos



2ª semana aulas: 03 e 04 (06 à 10/02 de 2012)

Assunto: DISTRIBUIÇÃO DA POPULAÇÃO: 

Objetivos da Aula:
- Levar o aluno a identificar aspectos importantes da dinâmica demográfica, relacionando dados, informações e taxas relativas a essa dinâmica.
- Conceituar os diferentes indicadores demográficos e caracterizar regiões e países mais populosos e mais povoados do globo.



Olá pessoal! Tudo bem? Nessa semana vamos dá continuidade ao nosso estudo sobre população mundial. Iniciaremos com algumas noções preliminares sobre o que é a demografia. Seu objeto de estudo e alguns conceitos básicos de demografia para melhor podemos entender a dinâmica da população mundial que é o nosso assunto de estudo desse bimestre. Ok?


CONCEITOS DEMOGRÁFICOS
Alguns conceitos demográficos são fundamentais para a análise da população, abaixo iremos elencar alguns:


POPULAÇÃO: Conjunto de habitantes de uma dada área, pode ser definido desde o aspecto local ao aspecto global. O campo da geografia que estuda a população é a demografia, que tem como significado o estudo da descrição do povo.
A) População absoluta: corresponde a população total de um determinado local.

Observação: Quando um local tem uma população absoluta numerosa, dizemos que ele é populoso



Exemplificando: A China possui a maior população absoluta entre os países do mundo, com aproximadamente 1 bilhão e 300 milhões de habitantes. Ou seja, de cada cinco habitantes do planeta Terra, um é chinês (cerca de 20% dos 6,5 bilhões de habitantes do planeta). Podemos, portanto, afirmar que a China é o país mais populoso do mundo.O Brasil atualmente apresenta-se como o quinto país mais populoso do mundo, ficando atrás apenas da China, Índia, Estados Unidos e Indonésia. Essa colocação foi alcançada devido à ocorrência de um rápido e intenso crescimento demográfico.


B) População relativa ou Densidade demográfica : corresponde a média de habitantes por quilômetros quadrados. Isto é, é o total de habitantes dividido pela área que ocupam ou é a média da distribuição da população total pelo território. Um termo atualmente muito empregado para se definir povoado é o termo densidade demográfica.


Quando a população relativa de um local é numerosa dizemos que esse local é muito povoado. E quando ocorre o inverso dizemos que ele é pouco povoado 
Exemplificando:  A China possui uma elevadíssima densidade demográfica,com cerca de 135,9 habitantes por quilômetro quadrado. Vejamos o caso do Brasil?

 
 REEMBRANDO:
Como se calcula a densidade demografica de um lugar?
Veja a formula abaixo:


Para o Brasil, por exemplo, temos:


A primeira pergunta que nos vem à mente é: essa densidade demográfica é grande ou pequena? Vamos comparar com o mundo:


Podemos concluir que o Brasil possui uma baixa densidade demográfica, pois está muito abaixo da média mundial. Portanto o Brasil é um país populoso e pouco povoado; isto é, possui uma grande população absoluta, mas uma baixa densidade demográfica.

Vamos agora compará-la com a da China:

Contextualizado:
Apesar da enorme população absoluta, a densidade demográfica do Brasil é baixa comparada a outros países que possui uma população absoluta muito inferior ao Brasil. Pois a densidade demográfica brasileira  chegando a 21 habitantes por quilômetro quadrado.

Evite confundir densidade demográfica com distribuição da população, são dois conceitos diferentes, existem países com elevada densidade demográfica, mas com a população tão mal distribuída como a brasileira, por exemplo, a China: 

A China possui uma elevadíssima densidade demográfica, mas a sua população está concentrada na sua porção leste (Planície Chinesa, junto ao litoral).
Superpovoamento: corresponde a um descompasso entre as condições sócio-econômicas da população e à área ocupada. Isso quer dizer que, superpovoamento não depende apenas da densidade demográfica, mas principalmente das condições de vida da população. Alguns países com grande densidade demográfica podem não ser considerados superpovoados, enquanto outros com densidade baixa assim o podem ser classificados.


População relativa e superpovoamento




Uma região densamente povoada não é necessariamente superpovoada isso porque o conceito de superpovoamento não diz respeito apenas ao número de habitantes por km2 , mas também se refere ao nível de desenvolvimento socioeconômico e tecnológico da população em relação à área ocupada. 

Nesse caso, ocorre superpovoamento quando há descompasso do ponto vista das condições socioeconômicas da população em relação à área ocupada. 

A Holanda, por exemplo, e um país densamente povoado (434 hab/km2)mas não é superpovoado (a população desfruta de alto padrão de vida em um espaço muito pequeno), ao passo que países como a Índia (247 hab/km2) e Bangladesh (740 hab/km2) são superpovoados. O superpovoamento é portanto relativo.



3ª semana aulas: 05 e 06 (13 à 17/02 de 2012)

Assunto: Distribuição da População Mundial


Objetivo da aula:
- Identificar os diferentes aspectos e fatores que determinam a mobilidade da população e seus diferentes tipos. 
- Compreender assuntos relacionados à população, sua distribuição no globo e características regionais.
- Identificar os fatores históricos, físicos, econômicos e demográficos que influenciam na distribuição da população mundial e as características dessa mobilidade.

Olá meus amigos! Hoje falaremos a respeito da distribuição da populaçao mundial pelo globo, assunto que costumeiramente e cobrado nos vestibulares. Iniciaremos nossa aula com a seguinte observação. Vejamos o mapa abaixo. Observando o mapa percebe-se que a distribuição da população Mundial se dar de forma desigual, sendo que existem áreas bastante povoadas (altas densidades demográficas) áreas quase desabitadas (baixa densidade demográfica).

Iniciaremos a nossa aula obsrvando o mapa abaixo:





O ue podemos observar no mapa em relação a distribuição da população mundial por continente, por exemplo?

Na analise da distribuição da população no globo, nos continente, notamos que:
- A Ásia é o continente mais populoso, com quase 60% do total mundial, mas a sua população é mal distribuida;
- A Ásia é, também, o continente mais povoado, com quase 80 hab/km2;
- A Oceania é o continente menos populoso e menos povoado;
- A Antártida e o continente não habitado (despovoado).

Vejamos melhor:
Por quê existem áreas com Alta densidade demográfica:
Alguns trechos da superfície terrestre apresentam grande concentração de habitantes por km2, como regiões próximas ao litoral.
Exemplificando: um exemplo de espaço geográfico com grande concentração populacional é o sul e sudeste asiático. Lá vivem mais de 2 bilhões de habitantes com uma concentração de mais de 1000 hab./km2.

Por quê existem áreas com Baixa densidade demográfica:
Também existem alguns trechos da superfície terrestre que apresenta, pequenas concentrações populacionais, são regiões quase desabitadas.

Exemplificando: Exemplificando: como exemplo podemos citar  Regiões polares (desertos frios) e os Regiões desérticas (desertos quentes). Nessas regiões a concentração é INFERIOR a 1 hab./km2. São verdadeiros vazios demográficos. 

Causas: A concentração populacional ou vazios demográficos (áreas quase desabitadas) podem ser explicadas por vários motivos e estes estão organizados segundo duas categorias de fatores.

Fatores naturais: podem ser: favoráveis e desfavoráveis

Favoráveis:
- Existência de água permanente;
- Proximidade do litoral
- solos férteis;
- clima propício a agropecuária.  

Desfavoráveis:
- Clima muito quente ou muito frio
(deserto quente ou deserto frio)




- Vegetação nativa, não modificada pela ação humana.
- região montanhosa e muito acidentada.

Fatores histórico e econômicos: estes estão muito ligados aos fatores naturais favoráveis

EXEMPLIFICANDO:

DISTRIBUIÇÃO DA POPULAÇÃO BRASILEIRA

O Brasil, a exemplo de vários países no mundo, apresenta uma má distribuição populacional, apresentando áreas concentradas e vazios demonstrando a irregular distribuição.

O Brasil se caracteriza como um país populoso, mas não plenamente povoado. Esse fato se dá por vários fatores como:

- Formação Histórica
: o Brasil sempre buscou desenvolver e ocupar a região litorânea, devido a maior facilidade de integração econômica.

- Fator Econômico: falta de empenho no desenvolvimento de áreas pouco assistidas no país, o que determina os vazios demográficos.

OCUPAÇÃO ESPACIAL: Observe o mapa do Brasil que se segue:



Você já parou para pensar no por quê dessa distribuição  da população brasileira ser tão irregular no território brasileiro?

No mapa observe-se que o Sudeste é a região mais populosa e povoada, já o Centro-Oeste é menos populoso, enquanto o norte ou a Amazônia é a região menos povoada.

- No geral, as grandes concentrações de população estão localizadas nas proximidades do litoral, numa faixa com cerca de 300 km com densidade superior a 100 hab./km2.
- Já faixa que abrange o Maranhão, Pará e Mato Grosso do Sul possui uma Densidade Populacional regular de no máximo 10 hab./km2.
- E nas áreas que correspondentes ao Amazonas e Roraima possuem densidades que não ultrapassam os 2 hab./km2. 

Podemos cocluir que:

Áreas Densamente Ocupadas:
Região sudeste: região mais densamente povoada do Brasil, destaque para São Paulo, Rio de Janeiro e sul de Minas Gerais;
Região Nordeste: zona da Mata (litoral).
Região Sul: as capitais e cidades litorâneas.

Vazios Demográficos:
Polígono da seca.
Pantanal Mato Grossense.
Região Amazônica (destaca-se o Norte e a parte ocidental).

Distribuição da população Brasileira
Com vimos no início da aula o Brasil é um país populoso, mas também é um país pouco povoado. Mas por que isso ocorre? No início da aula foi falado que quando um país, por exemplo, tem uma área territorial muito grande, a sua concentração de habiantes vai ser quase sempre pequena. Podemos pegar o Brasil como exemplo disso. Ele tem uma população absoluta, que é a 5ª maior do globo e possui uma área territorial que é também a 5ª maior do globo, quando distribuímos sua população pelo seu território observamos que a sua população relativa é muito abaixo da média da populção relativa mundial e de outros paíse como China e a Índia, o que torna o Brasil um país pouco povoado. OK?




Atividade de Assimilação:
Questão 01 –  Observa o mapa da Fig. 1.


1. Escreva, no mapa da Fig. 1 e no lugar correto, o nome de:

a) dois grandes desertos;
b) uma grande floresta equatorial;
c) duas cordilheiras montanhosas;
d) uma região polar ou subpolar do hemisfério norte;
e) uma região polar ou subpolar do hemisfério sul.

1.2 Assinale, com um círculo a vermelho, as quatro maiores concentrações demográficas.

1.3 Identifique as maiores concentrações demográficas que você assinalou no mapa.

1.ª _____________________________ ;
 2.ª ________________________________;
3.ª ____________________________ ;
4.ª _________________________________.

1.4 Assinale, com um círculo a azul, três focos secundários de povoamento, um na Ásia, outro em África e outro na América Latina.

Questão 02 –  (Ufsc) Com base na tabela que trata da população absoluta e relativa dos países mais populosos do mundo, e nos seus conhecimentos sobre esse assunto, assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S).

01). O Brasil é um país bastante povoado.
(02). O Brasil é um país populoso.
(04). O Brasil é um país populoso e bastante povoado.
(08). Comparado aos principais países mais populosos do mundo, o Brasil possui uma baixa população relativa.
(16). Por ser um país bastante povoado, o Brasil não exige políticas de desenvolvimento regional para a ocupação do território. 




Questão 03 – (Ufpe) Um estudo sobre a dinâmica e a distribuição da população de uma determinada área é realizado a partir do conhecimento e da compreensão dos seus indicadores demográficos. Em relação a alguns desses indicadores, analise as proposições abaixo.

Coloque (V) nos enunciados que seja(m) verdadeiro(s) e (F) para as que estejam Falsas.


( ) A densidade demográfica é obtida a partir da divisão da superfície territorial de um lugar pela sua população absoluta.
( ) O crescimento vegetativo é calculado com base nas taxas de natalidade, mortalidade e migração.
( ) O superpovoamento de uma área não é identificado apenas pela densidade demográfica mas também pelas condições socioeconômicas existentes.
( ) A taxa de mortalidade infantil identifica o número de óbitos de crianças menores de um ano.
( ) A taxa de fecundidade é um indicador populacional que influencia diretamente o comportamento de um outro indicador, o da natalidade.

Resposta: FFVVV

4ª semana aulas: Avaliações Mensais (20 à 24/02 de 2012)


Atividade de fixação:



01 Questão: (UFC adaptada) Considere os seguintes fatores para fins de recenseamento.


P = População total de um país;
I = Imigrações;
P1= População de referência;
E = Emigração;
N =Total de nascimentos;
A = Área do país em km2;
M =Total de óbitos;
D= Densidade demográfica.

Com base nas relações entre os fatores, coloque (V) ou (F) nas alternativas abaixo.


I ( ) P= P1 + (N - M) + (I - E)
II ( ) D = P/A;
III ( ) P= P1 + D + (N - M) + (I - E)
IV ( ) D = P/A;
V ( ) P= P1 + D + N + (I - E)
VI ( ) D= P1 + (N - M) + (I - E)
VII ( ) P= D.

A) V,F,V,V,F,V,F                D) F,F,V,V,V,V,V
B) F,F,V,V, F,V,F                E) V,F,V,F,V,F,V
C) V,V,F,F,F,F,F


O2 Questão: (UFC adaptada) Calcule o Cv, Tn e Tm de uma região X, sabendo-se que o numero de habitante é 4.000.000, considerando-se que em um determinado ano nasceram 100.000 crianças e que o número de óbitos foi de 60.000 pessoas.

CV:_____________________

TN:_____________________

TM:_____________________


Questão 03. As análises das populações humanas utilizam-se de indicadores numéricos interpretados à luz de teorias demográficas às vezes divergentes. Interesses político-econômicos também orientam estas análises e direcionam as ações governamentais relativas ao crescimento da população. As questões a seguir dizem respeito aos conceitos e teorias demográficas, às políticas públicas e ao processo de envelhecimento da população brasileira.


a) Defina:



a.1) taxa de natalidade;




a.2) taxa de mortalidade;




a.3) crescimento vegetativo;




a.4) crescimento demográfico:


Questão 04 – De acordo com a ONU (2007), a população mundial é de aproximadamente 6,6 bilhões de pessoas. Desse total mais de 5,0 bilhões vivem em nações subdesenvolvidas. Apesar da existência de organizações transnacionais destinadas a resolver o drama da pobreza, só aumenta a disparidade entre o mundo rico e o mundo pobre. As questões abaixo versam sobre a população mundial, sua distribuição, suas características e seus problemas.


a) Cite quatro dos dez países mais populosos do mundo



b) Cite três conseqüências da desigualdade socioeconômica presente entre os povos.


c) Aponte dois fatores que contribuem para o aumento da expectativa de vida que ocorrem mesmo em muitos países ou regiões de acentuada pobreza.


d) Dê dois exemplos de fluxos migratórios ocorridos no Mundo em decorrência das diferenças de condições de desenvolvimento entre os países no globo terrestre.



Questão 03 - (UEPB) O mapa da distribuição da população mundial mostra a irregularidade de ocupação humana pelo espaço, que de um modo geral está associada a três fatores principais: físico ou natural, histórico e econômico. Identifique as áreas assinaladas pelos numerais de 1 a 5 com os seus respectivos fatores favoráveis ou não à ocupação humana.


( ) Norte do Canadá, que deve sua baixa densidade demográfica ao fator climático de influência polar.
( ) Nordeste dos Estados Unidos e Região dos Grandes Lagos, que devem sua intensa densidade demografia à presença da maior concentração industrial norte-americana.
( ) Leste da China, tem na história muito antiga da sua ocupação um dos motivos para apresentar uma alta densidade demográfica.
( ) Bangladesh, c u j a localização no delta dos rios Ganges, Brahmaputra e Meghna, deve a esses rios as terras de aluvião muito férteis que atraíram uma das maiores concentrações populacionais do mundo.
( ) Planalto do Tibete na Ásia Central, cuja grande altitude e consequente associação de baixa temperatura e pressão atmosférica dificultam a ocupação humana.

A sequência correta da numeração é:
a) 5 3 1 4 2
b) 4 3 2 4 5
c) 3 2 5 1 4
d) 3 4 1 5 2
e) 4 3 2 1 5


Questão 05- (UNEAL) Analise o gráfico



A partir dos índices apontados no gráfico e de conhecimentos sobre os países mais populosos do mundo, as letras A, B, C, D e E correspondem, respectivamente, a :

a) Estados Unidos, China, Índia, Indonésia e Brasil.
b) China, Índia, Estados Unidos, Indonésia e Brasil.
c) Brasil, Índia, Estados Unidos, China e Indonésia.
d) China, Índia, Indonésia, Brasil e Estados Unidos.
e) Estados Unidos, Brasil, Índia, China e Indonésia.



5ª semana aulas: 07 e 08 (27/02  à 02/03 de 2012)
Assunto: Crescimento demográfico mundial

Objetivos da Aula:
-Caracterizar a evolução da população mundial ao longo dos tempo.
-Identificar diferentes fases de evolução da população mundial.
-Caracterizar o crescimento lento(período pré-industrial)
-Caracterizar crescimento rápido e acelerado que ocorreu num primeiro momento nos países ricos e nos países países pobres no pós 2ª GM.
-Caracterizar estagnação demográfica nos países ricos.

Olá pessoal, Nessa aula, vamos estudar o crescimento da população mundial


Então vamos lá!!

--> -->
Noções Preliminares:

A população cresce de duas formas em uma determinada área:

- Pela diferença entre a taxa de natalidade e mortalidade (crescimento natural ou vegetativo).
- Pela diferença entre a taxa de imigração (entrada de pessoas) e emigração (saída de pessoas).

Evolução do crescimento demográfico

Dados estatísticos têm demonstrado que a população vem crescendo no âmbito global, contudo com intensidades e proporções geográficas diferentes.

No último século, a população mundial cresceu em uma escala nunca antes vista, principalmente nos países subdesenvolvidos. Países da África, América Latina e Ásia tiveram um crescimento substancial de suas populações, caracterizando um aspecto claro de explosão demográfica.

Entretanto, já existem dados de análise que determinam que, aproximadamente no ano de 2023, a população tende a diminuir o ritmo de crescimento, buscando assim um equilíbrio populacional.

1ª Fase: Crescimento Lento
Ocorreu nos países europeus da idade média até o período marcado pela revolução industrial, marcada por altas taxas de natalidade, aliada à alta taxa de mortalidade, devido principalmente a fatores como problemas de saúde e higiene, guerras e fome;
 
Durante esse período a expectativa de vida da população era extremamente baixa para os parâmetros atuais (cerca de 30 anos em média).
 
2ª Fase: Crescimento Exagerado
Nos países desenvolvidos da Europa, ocorreu durante o século XVIII e XIX, durante o período da Revolução Industrial; já nos países desenvolvidos ditos “novos” ocorreu no início do século XX (EUA e
Japão) e nos países subdesenvolvidos em geral ocorreu na segunda metade do século XX.
 
Esse crescimento demográfico substancial ocorreu pela diminuição considerável da taxa de mortalidade (combate a epidemias, melhorias médico-hospitalares, de higiene e limpeza, diminuição das
guerras e combate a fome), aliada a uma diminuição menos ampla da taxa de natalidade.
 
Os países mais pobres ainda estão atravessando essa fase.

3ª Fase: Estabilidade
 
Fase em que ocorrem baixas taxas de natalida-de e mortalidade, estão atravessando essa fase os países desenvolvidos, nos quais a taxa de crescimento é muito baixa (cerca de 1%) ou às vezes nula.
Alguns países que apresentam um crescimento muito baixo estão investindo no aumento populacional como forma de manter os traços culturais e a identidade nacional, como é caso da França, Suíça, Finlândia, dentre outros.
 
Os países subdesenvolvidos ainda apresentam altos índices de crescimento populacional.


Aspectos gerais do crescimento populacional brasileiro
O Brasil atualmente apresenta-se como o quinto país mais populoso do mundo, ficando atrás apenas da China, Índia, Estados Unidos e Indonésia.
Essa colocação foi alcançada devido à ocorrência de um rápido e intenso crescimento demográfico.

O Crescimento brasileiro intensificou-se a partir do final do século XIX, devido ao aumento considerável das taxas de crescimento natural ou vegetativo e às taxas de imigração.

Contudo, dentre os fatores, o crescimento vegetativo (diferenças entre o número de pessoas que nascem – o número de pessoas que morrem) foi o fator mais importante do aumento populacional brasi-leiro.


O crescimento brasileiro intensificou-se a partir do final do século XIX, devido ao aumento considerável das taxas de crescimento natural ou vegetativo e as taxas de imigração.

Dentre os fatores citados, o crescimento vegetativo (diferenças entre o número de pessoas que nascem – o número de pessoas que morrem) foi o fator mais importante do aumento populacional brasileiro. 

Dessa forma, a população mundial tem crescido no decorrer da história em função de uma maior taxa de natalidade em relação à taxa de mortalidade. Como se pode observar no gráfico abaixo, no início da Era Cristã a população humana correspondia a 250 milhões de habitantes; chegou a 500 milhões em 1650; atingindo 1 bilhão em 1850; ultrapassou os 2 biliões em 1950; chegou a 5,6 biliões em 1995; e vai ultrapassar os 6 biliões de habitantes no final do século XX. Esses números mostram que no início a população levou séculos para duplicar, depois dobrou em duzentos anos, a seguir, dobrou em apenas cem anos e as projecções indicam que triplica no período de 1950 a 2000.

Observe a gravura abaixo:


Ao observar a marcha de crescimento populacional, percebe-se duas fases distintas:

Primeira fase ou fase de crescimento lento. 
- Um Crescimento lento: Dos primórdios da humanidade até o final do século XVIII (1800) , em função da inexistência de condições sanitárias adequadas, guerras, epidemias, etc., a taxa de mortalidade era elevada.
 

Esse período é caracterizado por um equilíbrio demográfico, pois as elevadas taxas de mortalidade (perdas demográficas por guerras, epidemias, fome, acidentes naturais) eram compensados plas elevadas taxas de natalidade(forma de repor essas perdas) e que acabava provocando baixos índices de crescimento vegetativo, devido as elevadas taxas de natalidade e de mortalidade
OBSERVAÇÃO: Nascem muitos, mas morrem muitos. A elevada mortalidade era decorrente principalmente das precárias condições higiênico-sanitárias, das epidemias, das guerras, fome (provocadas pelo longos períodos de estiagem).
Resumo:
Primeira fase ou fase do crescimento lento:
žDos primórdios da humanidade até o final do século XIX para alguns países e até os dias atuais para outros.
žAltas taxas de natalidade e altas taxas de mortalidade.

 Portanto:
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICA:


– Elevadas taxas de natalidade
– Elevadas taxas de mortalidade.

OBS.: Dos primórdios da humanidade até o fim do século XVIII, aproximadamente, esses ALTOS ÍNDICES DEMOGRÁFICOS (Natalidade e Mortalidade elevadas) existiram e foi axistência  deles que hoje explicam os baixos índices de crescimento demográfico desse período. Nessa fase, observamos que a humanidade estava submetida às imposições da natureza. Por meio da mortalidade elevada, a natureza impunha um ritmo de crescimento bastante lento.

E quais seriam então as suas Causas: principalmente as precárias condições higiênico-sanitárias, além de constates guerras e períodos prolongados de fome ou de epidemias que dizimavam milhares e milhares de vidas.

Contextualizando:
As crises de fome, as guerras, as precárias condições higiênico-sanitárias e as epidemias em muito contribuíram para os resultados desse período. Acredita-se que na Grécia e na Roma antigas a média de vida era de apenas 25 anos.

Consequência:
BAIXA EXPECTATIVA DE VIDA– A expectativa de vida ou esperança de vida (duração média, em anos, da vida humana) era muito baixa. A população mundial desse período viviam em média menos de 30 anos. O que nos leva a concluir que: Nasciam muitas pessoas, mas viviam um período muito curto de vida, em geral essas populações a grande maioria morriam ainda criança ou muito jovens.

Segunda fase ou fase de crescimento rápido e acelerado:

Crescimento rápido: corresponde ao periodo da industrialização dos países europeus compreende principalmente, num primeiro momento nos séculos XVIII e XIX na europa - paísesdesenvolvidos velhos e, acentuadamente, na segunda metade do séc. XX, em função dos avanços científicos e damelhorias das condições higiénico-sanitárias.

Os paíse desenvolvidos superaram  fase do crescimento lento antes dos países subdesenvolvidos, e podemos apontar a revolução Industrial (século XVIII) como marco desse período.

Por que?
Graças a I revolução Industrial (século XVIII) as populações que viviam nos campos da Europa do século XVIII, se viram obrigados a migrarem para os centros urbanos em busca de trabalho  visto que estes foram expulsos das melhores terras para o cultivo ou para a criação de animais. E isto implicou numa ampliação da população urbana européia,que vai ter nesse caso um ou ser ou ter  impacto no sentido positivo para o crescimento populacional, visto que é na cidade que essas populações vão ter uma melhoria das condições higiênico-sanitárias, como também um melhor desempenho médico-hospitalar, além  de uma melhoria da nutrição dessas pessoas (alimentação). Então temos aqui uma revolução também medica sanitária. Ok?

Então pessoal! É essa mudança de ambiente que vai proporcionar uma redução significativa nas taxas de mortalidade não só infantil, mas também sobre a populção mundial de modo geral, e isso vai elevar também por outro lado a expectativa de vida dessas populações que vai de certa forma ser o fator responsável pelo aumento do crescimento vegetativo dessas populações . Certo? 

QUAIS POPULAÇÕES PESSOAL?

Aqui temos duas relidade diferentes (lembrando pessoal) A dinâmica demográfica não é homogênea em todo o mundo, pois ela reflete as principais características da economia de um país e da vida do grupo social. 

IMPORTANTE:

Como isso ocorreu nos PAÍSES DESENVOLVIDOS:

No caso dos países desenvolvidos industrializados da europa Ocidental, os chamados “desenvolvidos velhos”, estes foram os primeiros a atingir essa fase, principalmente durante o século XIX,

Exemplificando: Nos países do Norte cerca de 71% das mulheres já faziam uso de métodos anticoncepcionais na primeira metade do século XX.

Já no caso: dos países “desenvolvidos novos” (EUA, Canadá, Rússia, Japão), ela só ocorreu na primeira metade do século XX

E como isso ocorreu nos PAÍSES SUBDESENVOLVIDOS:
Já nos países subdesenvolvidos a ocorrência dessa fase só vai existir a partir da segunda metade do século XX

Exemplificando:  A maior parte dos países do sul se encontra nessa fase. Exemplos: países pobres da África (Sahel), da Ásia (leste e sudeste), da América Latina e da Oceania. isto é, com elevadas taxas de natalidade e baixas taxas de mortalidade, com grande crescimento populacional ainda.

 Nesse período, o mundo deparou-se com um vertiginoso crescimento populacional, denominado explosão demográfica.


Agora observe a tabela abaixo:


A partir da análise da tabela observa-se que a população mundial teve um extraordinário crescimento no século XX. De 1901 a 2000, o número de habitantes da Terra passou de 1,6 bilhão para 6,1 bilhões. Esse aumento foi maior a partir da década de 1950 (cerca de 150%). Somente no período de 1987 a 1997, a população mundial aumentou em 1 bilhão de pessoas. O acréscimo de 86 milhões de pessoas verificado no fim dos anos 1980 (1989-1990) foi o maior da história da humanidade.

Apesar da diminuição da taxa de crescimento, as previsões são de que a população mundial vai continuar crescendo.


A partir dessas considerações iniciais vamos iniciar propriamente a nossa aula. Como você pode perceber bem! O crescimento demografico é um tema muito simples e ao mesmo tempo muito complexo no estudo da dinâmica populacional. Por que?

- Simples porque ao analisar o crescimento de uma população, levamos em consideração num primeiro momento apenas o aumento puro e simples do número total de habitantes, isto é. da população absoluta.
- Complexo porque precisamos analisar os fatores que levaram o aumento dessa população. Por que? Porque são eles nos revelarar os motivos (causas desse aumento), e principalmente suas prováveis consequências.
Mas como é que a gente faz essa análise desse crescimento populacional?
Para realisarmos tal análise, devemos quantificar as variáveis que compõem o cálculo do crescimento demografico. Nesse caso, usaremso varias formulas matematicas envolvendo as variáveis principais no cálculo do crescimento demográfico que são NATALIDADE, MORTALIDADE e MIGRAÇÃO


Exemplificando:

Para realisarmos um cálculo do crescimento demográfico de uma população precisamos primeiro conhecer algumas fórmulas matematicas


Vejamos:
Taxa de crescimento demografico ou crescimento total = (CD) ou (CT)


CD = CT = Po + ( N - M ) + ( I - E ) OU
CD = CT = Po + CV + CH

EM QUE:

CD = CRESCIMENTO DEMOGRÁFICO
CT = CRESCIMNTO TOTAL
Po = POPULAÇÃO DEREFÊCIA (ANTERIOR)
N = NUMERO DE NASCIMENTOS
M = NUMERO DE ÓBITOS
I = IMIGRANTE (ENTRADA DE INDIVÍDUOS)
E = EMGRANTES (SAÍDA DE INDIVÍDUOS)
CV= CRESCIMENTO VERTICAL OU VEGETATIVO
CH= CRESCIMENTO HORIZONTAL OU MIGRATÓRIOS


AS FORMULAS DEMOGRÁFICA:


TAXA DE NATALIDADE (TN)




TAXA DE MORTALIDADE (TM)




TAXA DE CRESCIMENTO VEGETATIVO (CV) ou NATURAL (VN)





FASES DO CRESCIMENTO POPULACIONAL.


Segunda fase ou fase de crescimento rápido.
Os paíse desenvolvidos superaram  fase do crescimento lento antes dos países subdesenvolvidos, e podemos apontar a revolução Industrial (século XVIII) como marco desse período.

Por que?
Graças a I revolução Industrial (século XVIII) as populações que viviam nos campos da Europa do século XVIII, se viram obrigados a migrarem para os centros urbanos em busca de trabalho  visto que estes foram expulsos das melhores terras para o cultivo ou para a criação de animais. E isto implicou numa ampliação da população urbana européia,que vai ter nesse caso um ou ser ou ter  impacto no sentido positivo para o crescimento populacional, visto que é na cidade que essas populações vão ter uma melhoria das condições higiênico-sanitárias, como também um melhor desempenho médico-hospitalar, além  de uma melhoria da nutrição dessas pessoas (alimentação). Então temos aqui uma revolução também medica sanitária. Ok?

Então pessoal! É essa mudança de ambiente que vai proporcionar uma redução significativa nas taxas de mortalidade não só infantil, mas também sobre a populção mundial de modo geral, e isso vai elevar também por outro lado a expectativa de vida dessas populações que vai de certa forma ser o fator responsável pelo aumento do crescimento vegetativo dessas populações . Certo? 

QUAIS POPULAÇÕES PESSOAL?

Aqui temos duas relidade diferentes (lembrando pessoal) A dinâmica demográfica não é homogênea em todo o mundo, pois ela reflete as principais características da economia de um país e da vida do grupo social. 

IMPORTANTE:

Como isso ocorreu nos PAÍSES DESENVOLVIDOS:

No caso dos países desenvolvidos industrializados da europa Ocidental, os chamados “desenvolvidos velhos”, estes foram os primeiros a atingir essa fase, principalmente durante o século XIX,

Exemplificando: Nos países do Norte cerca de 71% das mulheres já faziam uso de métodos anticoncepcionais na primeira metade do século XX.

Já no caso: dos países “desenvolvidos novos” (EUA, Canadá, Rússia, Japão), ela só ocorreu na primeira metade do século XX

E como isso ocorreu nos PAÍSES SUBDESENVOLVIDOS:
Já nos países subdesenvolvidos a ocorrência dessa fase só vai existir a partir da segunda metade do século XX

Exemplificando:  A maior parte dos países do sul se encontra nessa fase. Exemplos: países pobres da África (Sahel), da Ásia (leste e sudeste), da América Latina e da Oceania. isto é, com elevadas taxas de natalidade e baixas taxas de mortalidade, com grande crescimento populacional ainda.


Terceira fase: baixíssimo crescimento ou estagnação.


– Baixas taxas de natalidade e mortalidade, resultando em níveis baixíssimos e até em estagnação do crescimento populacional.
– Transição demográfica concluída.
– Encontram-se nessa fase os países desenvolvidos, a maior parte apresentado taxas de crescimento inferiores a 1%.


Fatores que contribuíram para a redução da taxa de fecundidade:


-Urbanização( exigências da vida urbana).
-Aumento da escolarização (métodos de planejamento familiar).
-Incorporação das mulheres ao mercado de trabalho (jornada dupla).


Exemplificando: O Brasil começa a entrar nessa fase da transição demográfica com taxa de natalidade de 18,4‰ e taxa de mortalidade de 6,1‰, resultando num crescimento vegetativo de 1,2% ao ano.


Redução das Taxas de Natalidade


Causas:
– Maior participação da Mulher no mercado de trabalho. E cada vez mais comum mulheres que buscam empregos fora do lar. Para ela, a maternidade seria um obstáculo para a ida profissional.
– Método anticoncepcionais – as mudanças dos hábitos sexuais e a diminuição de restrições do tipo moral fazem com que, nos grandes centros, seja bastante comum o uso de métodos para evitar a gravidez , tais como pílulas anticoncepcionais, técnicas de esterilização e preservativos estes últimos são cada vez mais utilizados em razão de doenças de origem sexual, notadamente a AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida).
– Maiores gastos com filhos principalmente nas áreas urbanas as famílias sabem que os custos com alimentação, vestuário, transporte, educação e saúde são cada vez mais altos, o que impossibilita famílias grandes.
– O aborto. Embora ilegais e considerados criminosos, na maioria dos países, os abortos são cada vez mais praticados em razão também das alterações do comportamento sexual e do temor de uma gravidez indesejada.


Redução das taxas


A queda dos índices de mortalidade decorre dos avanços médicos, aumento da estrutura hospitalar, programas de vacinação e melhor saneamento básico.




OBSERVÇÃO:

- Essa fase de estabilização do crescimento demográfico, chamada por alguns de transição demográfica, não ocorreu de modo semelhante em todos os países.

- As nações desenvolvidas se estabilizaram antes. Das nações subdesenvolvidas, apenas as que se industrializaram chegaram à estabilização ou perto dela. Países como Paquistão, Nigéria, Bangladesh, Quênia, entre outros, sem dúvida estão longe de atingi-la.

Asunto que veremos na próxima aula. OK!!!

Assunto: Teoria da Transição demográfica
Aula; 08
Objetivos da Aula:

-Distinguir o crescimento populacional nos países desenvolvidos e nos países em desenvolvimento.
-Explicar os diferentes ritmos de crescimentos entre os países desenvolvidos e os países em desenvolvimento.
-Caracterizar os ritmos de crescimento da população mundial por continente.

Na aula passada nós vimos que o processo de evolução da população deve ser compreendido a partir dos indicadores de mortalidade para se entender o comportamento na natalidade e não o inverso; pois os indicadores de mortalidade em geral mudam antes dos de natalidade, e estas últimas procuram com frequência se adaptar às alterações das primeiras.
     

IMPORTANTE:

Vimos que o crescimento vegetativo pode ser:

- Positivo = NUMERO de nascimentos MAIOR que o  NUMERO de mortes. Isto é, quando TN > TM (positivo):
Exemplificando: É a situação encontrada no Brasil e na maior parte dos países do mundo. (Países Subdesenvolvidos)


- Negativo = NUMERO de nascimentos MENOR que o  NUMERO de mortes.   Isto é, quando TN < TM (negativo):
Exemplificando: É a situação já encontrada em certos países da Eropa. (Alemanha, Itália etc.)
(países Desenvolvidos).

- Nulo = NUMERO de nascimentos IGUAL ao NUMERO de mortes. Isto é, quando TN = TM(reposição): 
Exemplificando: É a situação de reposição, também encontrada em grande parte dos países da Europa.
(países Desenvolvidos)  


ISSO IMPLICA NA SEGUINTE OBSERVAÇÃO : Qual? que o crescimento populacinoal SE DÁ DE FORMA DESIGUAL entre os países desenvolvidos e subdesenvolvidos:

Veja a tabela abaixo Gráfico

Essa DIFERENÇA  no CRESCIMENTO POPULACIONAL entre os PAÍSES RICOS e os  PAÍSES PROBRES representam DIFERENTES ESTÁGIOS DE DESENVOLVIMENTO SOCIO ECONÔMICO.

Assim observando essa desigualdade no crescimento populacional nos anos1940, alguns estudiosos (demógrafos) apresentaram ao mundo a teoria de transição demográfica. Essa teoria analisa os estágios de evolução da população desde o períodopré-industrial até os dias atuais.

Agora observe o próximo gráfico:

como visualizamos no gráfico acima esse processo se daria em três etapas distintas:


-Primeira Estágio
(Primitivo - lento)

Esse período pré-industrial é caracterizado por um equilíbrio demográfico, pois as elevadas taxas de mortalidade (perdas demográficas por guerras, epidemias, fome, acidentes naturais) eram compensados plas elevadas taxas de natalidade(forma de repor essas perdas) e que acabava provocando baixos índices de crescimento vegetativo, devido as elevadas taxas de natalidade e de mortalidade
OBSERVAÇÃO: Nascem muitos, mas morrem muitos. A elevada mortalidade era decorrente principalmente das precárias condições higiênico-sanitárias, das epidemias, das guerras, fome (provocadas pelo longos períodos de estiagem).

Resumo:
Primeira fase ou fase do crescimento lento:
žDos primórdios da humanidade até o final do século XIX para alguns países e até os dias atuais para outros.
žAltas taxas de natalidade e altas taxas de mortalidade.

 Portanto:


- Segundo Estágio
(Crescimento rápido)

Esse período também é conhecido como transicional, e ocorre na segunda metade do século XX (pós guerra) Esse período de evolução é caracterizado pela permanência das altas taxas de natalidade acompanhada pelas decadências das taxas de mortalidades, e gerando assim um grande excedente populacional. Isto é, que apresenta as seguintes modificações: num primeiro momento, a redução da mortalidade com o fim das epidemias e os avanços médicos (decorrente da Revolução Industrial), porém a natalidade ainda se mantém elevada, ocasionando uu grande crescimento populacional; num segundo momento, a natalidade começa a cair, reduzindo-se então o crescimento populacional.
Resumo:
Segunda fase ou fase do crescimento rápido:
žElevadas taxas de natalidade e baixas taxas de mortalidade (grande crescimento da população).
Os países “desenvolvidos velhos” (Europa Ocidental) foram os primeiros a atingir esta fase no século XIX.
Nos países “desenvolvidos novos” (EUA, Canadá e Japão), esta fase ocorreu na primeira metade do século XX.
Nos países subdesenvolvidos, esta fase aconteceu depois da Segunda Guerra Mundial.

Portanto:



-Terceiro Estágio
(Baixíssimo crescimento)

Esse período também é conhecido como Evoluída. Atualmente estão nessa fase os países desenvolvidos, a maior parte deles com taxas de crescimnto muito baixo (inferiora 1%; nulas ou até negativas). Isto é, é nessa  etapa em que a transição demográfica se completa, com a retomada do equilíbrio demográfico, agora apoiado em baixas taxas de natalidade e conservando as taxas de mortalidade bem baixas.

OBSERVAÇÃO:Atualmente estão nessa fase os países desenvolvido, a maior parte dos quais apresenta taxas de crescimento inferiores a 1% e até negativo. Países cujo crescimento vegetativo se encontra estagnado.
No caso do Brasil, a partir de 1980, o Brasil ingressou na fase de transição demográfica com regime demográfico em processo de desaceleração. Ver tabela seguinte;


Resumo:
Terceira fase ou fase de baixíssimo crescimento ou estagnação:
žBaixas taxas de natalidade e de mortalidade. Atualmente os países desenvolvidos estão nesta fase.
žA partir de 1980, alguns países emergentes começaram a ingressar nesta fase.

Outras formas de estuda e dividir a teoria da transição demográfica


6ª semana aulas: 09 e 10 (05 à 09/03 de 2012)
Assunto: Teorias demográficas

Objetivo da aula:
- Reconhecer as principais teorias demográficas e seu momento histórico.
- Analisar as diferentes características dos principais gráficos demográficos, dentre eles a pirâmide populacional.

Na aula passada vimos que o crescimento elevado da população ocorreu a partir do final século XIX, e isso promoveu profundas discussões o que levou a criação de várias teorias sobre esse tema, como se vê a seguir.

O certo é que esses surtos de crescimento demográfico fizeram surgir inúmeras teorias que tentaram explicar o crescimento populacional acelerado que o mundo presenciou a partir e durante os séculos XVIII e XIX e que se acentuou no século XX onde de 1901 a 2000, o número de habitantes da Terra passou de 1,6 bilhão para 6,1 bilhões. Esse crescimento elevado da população tem promovido ainda hoje profundas discussões sobre esse tema desde o século XIX, como se vê a seguir.

Dentre essas teorias, destacam-se a Teoria Malthusiana, a Teoria Neomalthusiana e a Teoria Reformista ou Marxista e a mais atual a ecomalthusianismo.

Vamos didaticamente relacionar o surgimento das teorias demográficas as fase de aceleração do crescimento populacional mundial na história de sua evolução. Lembrando que esta teve três grandes surtos de crescimento:

- a 1ª chamado de Rápido,
-a 2ª de acelerado e
- a 3ª de Explosão demográfica.

Com essa divisão vamos estudar cada uma dessa teoria. Então vamos lá.
A primeira aceleração do crescimento populacional = Fase de Crescimento Rápido:

Contextualizando:
Teve seu início na Inglaterra durante a I Revolução Industrial e se espalhou pelo continente europeu até a ocorrência da II Revolução Industrial. Essas duas revoluções foram responsável pela urbanização dos países europeus. Ponto negativo: ( provocou a ocorrência do êxodo rural em massa, desemprego, aumento populacional de pobres nos grandes centros urbanos) O Ponto positivo a urbanização elevou a média de vida dos europeus e diminuiu gradativamente  a redução da taxa de mortalidade infantil européia o que favoreceu uma diminuição acentuada na taxas de mortalidades nos países que iniciaram a I ou II Revolução Industrial.

IMPORTANTE:
A primeira aceleração do crescimento populacional coincide com a consolidação do sistema capitalista e o advento da Revolução Industrial, durante os séculos XVIII e XIX. Nos países que se industrializavam, a produção de alimentos aumentou e a população que migrava do campo encontrava na cidade uma situação socioeconômica e sanitária muito melhor. Assim, a mortalidade se reduziu e os índices de crescimento populacional se elevaram o que fez um grupo de demografos a refletir a respeito desse novo panorama social que a Revolução industrial trazia consigo.

Nessa análise da expansão populacional na Inglaterra no final do século XVIII, gerou um acirrado debates no meio ciêntifico inglês (na área da demografia), que resultou na primeira TEORIA DEMOGRÁFICA, o malthusianismo que foi laborada pelo economista inglêsThomas Malthus (1776-1834). Conforme seu estudo Ensaio sobre o princípio da população (1798), existia um descompasso entre o aumento da população com o aumento da produção de alimentos:.   

Teoria malthusiana

Problemática observada por Thomas Malthus:   

O que malthus, observou foi que a quantidade da produção dos meios de subsistência com a evolução do crescimento da população mundial, excedia a capacidade da terra de produzir alimento. Malthus percebeu que enquanto o crescimento populacional tenderia a seguir um ritmo de uma progressão geométrica, a produção de alimentos cresceria no máximo seguindo uma progressão aritmética   
Esse quadro levaria a uma conflito generalizado entre as pessoas por comida, caso se não houvesse um controle natural, imposto pela propria natureza como guerras, doenças, epidemias.

 Exemplificando:

Na análise realizada por Malthus a população mundial estava crescendo em um ritmo rápido, comparado por ele a uma progressão geométrica (1, 2, 4, 8, 16, 32, 64, 128...), e a produção de alimentos estava crescendo em um ritmo lento, comparado a uma progressão aritmética (1, 2,3,4, 5, 6...). Sendo assim, em um determinado momento, não existiriam alimentos para todos os habitantes da Terra concluiu Thomas Malthus.

Assim, a população tenderia a crescer além dos limites de sua sobrevivência, e disso resultaria a FOME e a MISÉRIA.

 
Estaria certas as previsões de malthus? O QUE FOI QUE ELE PRÔPOS?
diante dessa constatação e
Segundo Thomas Malthus para evitar uma “catástrofe”os governos dos países capitalistas deveriam promover uma "restrição moral" aos nascimentos, como solução para o problema. O que significaria isso?
- proibir o casamento entre pessoas muito jovens; 
- limitar o número de filhos entre as populações mais pobres
- elevar o preço das mercadorias e reduzir os salários.
Todas essa ações segundo Malthus precionariam os mais pobres a terem uma prole menos numerosa.

Observação: Todo esse discurso foi elaborado antes da consolidação da I Revolução Industrial.
Hoje as ideias de Malthus, são consideradas ultrapassadas pela maioria dos estudiosos.

Por quê?
Para os críticos de Malthus, não se elemina a pobreza diminuíndo o número de nascimentos entre os pobres mas redistribuíndo a riqueza do mundo.

Quem fez essa critica ao Malthusianismo??

os reformista ouMaxista.. (falaremos mais um pouco deles no final da aula)  
Crítica a teoria malthusiana:
Ao lançar suas ideias, Malthus desconsiderou as possibilidades de aumento da produção agrícola com o avanço tecnológico. Aos poucos essa teoria foi caindo em descrédito e desmentida pela própria realidade. O que ocorre na realidade é uma grande concentração de alimentos nos países ricos e uma má distribuição de alimentos nos países pobres.

A segunda aceleração do crescimento populacional = Fase de Crescimento Acelerado:
Contextualizando:
Teve seu início no pós-2ªGM a partir de 1950, em todo o mundo e, particularmente nos países subdesenvolvidos. Foi uma verdadeira explosão demográfica (“Baby-boom”) e ressuscitou as idéias de Malthus através dos neomalthusianos ou alarmistas.

Agora vocês sabem por que houve esse crescimento acelerado?

Bem pessoal! Existiu um conjunto aconteciemntos que nos ajudam compreender e a explicar o acelerado crescimento populaional em que o mundo viveu nesse periodo. Tais como:

- O surgimento de novos países independentes africanos e asiáticos.
- As conquistas na área da saúde, como a produção de antibióticos e de vacinas contra uma série de doenças.

OBSERVAÇÃO:Tais conquistas se difundiram pelos países subdesenvolvidos graças a atuação de entidades internacionais de ajuda e cooperação, como a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Cruz Vermelha Internacional. Além disso, com o processo de expansão de empresas multinacionais grandes laboratórios farmacêuticos se instalaram nos países subdesenvolvidos que se industrializavam. Os remédios se tornaram mais acessíveis e baratos.

Esse processo denominado revolução médico-sanitária, incluiu também a ampliação dos serviços médicos, as campanhas de vacinação, a implantação de postos de saúde pública em zonas urbanas e rurais e a ampliação das condições de higiene social. Todos esses fatores permitiram uma acentuada redução nas taxas de mortalidade, principalmente a infantil, que até então eram muito elevadas nos países subdesenvolvidos. A diminuição da mortalidade e a manutenção das altas taxas de natalidade resultaram num grande crescimento populacional, que atingiu seu apogeu na década de 1960 e ficou conhecido como explosão demográfica.

Os fatores e os acontecimento acima mencionados propocionaram novamente a ocorrência  de novo surto de crescimento populacional mundial, e desta vez ainda maior e mais rápido, isto é, em questão de 52 anos a população mundial passou de 2,5 Bilhões de habitantes em 1960 para 6,1 Bilhão de habitantes no ano de 2000. De novo o crescimento acelerado e rápido, causa preocupação no seio da comunidade ciêntifica (alá capitalista). Esses teóricos (capitalista) observam que o crescimento populacional nos países pobres poderia afetar o desenvolvimento economico dos países, os demografos desses países (ricos) ligados a ONU, porpozeram aos países pobres que controlassem o ritmo de crescimento populacional.

TEORIA NEOMALTHUSIANA

Foi neste contexto que surgiu nos países ricos capitalista a TEORIA NEOMALTHUSIANA (ALARMISTA). Estes ciêntista observaram o aumento da população se dava basicamente em maior intencidade nos países subdesenvolvidos. isto implicaria no aumento da população pobre no mundo. E os governos locais desses países, no caso dos países subdesenvolvidos, tenderiam a gastar grande parte de seus orçamentos (recursos arrecadados em imposto) em programas sociais para ajudar os pobres em suas necessidade básicas como alimentação e saúde, etc. Certo e dai? O que era que os países ricos tinham haver com  isso?

OBSERVAÇÃO:
Bem pessoal! Na observação feita pelos demografos capitalistas essa pratica assitencialista nos países subdesenvolvidos afetaria diretamente a economia dos países industrializados, pois grande parte dessas industrias estavam em estado de migração (dos países ricos para os subdesenvolvidos) e nesse caso, os setores produtivos dos países industrializados, seriam os mais atingido, pois não sobraria quase nenhum recurso financeiro nos países pobres para o desenvolvimento e incentivo de uma industrialização em estado de implantação que estava em fase de instalação nos países subdesenvolvidos.

Além disso,  uma população numerosa de pobres seria um obstáculo ao desenvolvimento e levaria ao esgotamento dos recursos naturais, ao desemprego e à pobreza. Enfim, ao caos social.
os mais radicais pregavam que essa desordem social poderia levar até mesmo os países subdesenvolvidos a se alinhar com os países socialistas, que se expandiam naquele momento. Para evitar o risco, propunham a implantação de políticas de controle de natalidade, que se popularizaram com a denominação de “planeamento familiar”


SOLUÇÃO: Planejamento Familiar; Controle de Natalidade, propagandas (pílula, aborto, vasectomia, laqueadura); Medidas drásticas, rígidas (China)

Crítica a teoria neomalthusiana
Tira a responsabilidade dos países do Norte (exploração) pelo atraso e miséria dos países do Sul. Transfere para a população marginalizada.

Hoje se sabe que os neomalthusianos estavam equivocados pois o sucesso de um programa de controle de natalidade passa pela melhoria da qualidade de vida de um povo (educação, saúde, atendimento médico-hospitalar, renda etc)




Quadro síntese
TEORIAS DEMOGRÁFICAS E DESENVOLVIMENTO SOCIOECONÔMICO

Teoria de Malthus- Malthusianismo
- Publicada na Inglaterra em 1798 pelo economista e sacerdote anglicano Thomas Robert Malthus, preocupado com os problemas enfrentados pela Inglaterra durante a revolução industrial (êxodo rural, desemprego, aumento populacional etc).
- Teoria exposta na obra “Um ensaio sobre o princípio da população”.

-Princípios(principais ideias) da Teoria da Malthus:

a) Caso não seja detida por obstáculos (guerras, epidemias etc), a população tende a crescer segundo uma progressão geométrica, duplicando a cada 25 anos.
b) Os meios de subsistência, na melhor das hipóteses, só podem aumentar segundo uma progressão aritmética.

Proposta de Malthus:
c) Erradicação da pobreza e da fome por meio de uma política antinatalista, com medidas como o controle da natalidade, casamentos tardios e número de filhos compatível com os recursos dos pais.

Neomalthusianismo
- A explosão demográfica (“Baby-boom”) pós-2ªGM ressuscitou as idéias de Malthus através dos neomalthusianos ou alarmistas.

- Principais idéias defendidas pelos neomalthusianos:

a) A miséria dos países do Sul era causada pelo acelerado crescimento populacional.
b) A agricultura era capaz de produzir alimentos para todos.
c) Defendiam programas rígidos de planejamento familiar com o uso de pílulas anticoncepcionais, ligadura de trompas, DIU, aborto e vasectomia.
d) Acreditavam que a elevada fecundidade era causa e não conseqüência do subdesenvolvimento.
e) Hoje se sabe que os neomalthusianos estavam equivocados pois o sucesso de um programa de controle de natalidade passa pela melhoria da qualidade de vida de um povo (educação, saúde, atendimento médico-hospitalar, renda etc).

Reformistas ou marxistas

- Ao contrário dos neomalthusianos, os reformistas consideram a própria miséria responsável pelo acelerado crescimento populacional.
- Propunham a realização de reformas socioeconômicas que permitissem a elevação dos padrão de vida, melhorando a distribuição de renda e de alimentos e o aumento da taxa de escolaridade, que resultariam num planejamento familiar e na diminuição da natalidade e do crescimento vegetativo.
- Os países não se tornam desenvolvidos apenas pela redução de sua taxa de natalidade. No entanto, há muitos países cujo desenvolvimento econômico e social propiciou ace3ntuada redução espontânea da natalidade e do crescimento populacional.

Atividade de Fixação

Questão 01 – (UNIMONTES) O livro intitulado “Ensaio sobre o Princípio da População”, de Thomas Robert Malthus, mostra uma teoria demográfica que

a) defende que o avanço tecnológico provoca a fome e o desemprego estrutural.
b) explica que o crescimento populacional será reduzido com a urbanização.
c) afirma que a fome é provocada pela desigualdade socioeconômica entre as pessoas.
d) relaciona crescimento populacional com a fome.

Questão 02 – (Ibmec) O elevado nível de crescimento demográfico nos países pobres seria a causa principal de problemas como o esgotamento dos recursos naturais da Terra e o desemprego, razão pela qual a execução de uma política de controle da natalidade é recomendada, de acordo com a teoria:

a) neoliberal
b) contratualista
c) neomalthusiana
d) determinista
e) socialista

Questão 03 – (Unimontes) O livro intitulado “Ensaio sobre o Princípio da População”, de Thomas Robert Malthus, mostra uma teoria demográfica que

a) defende que o avanço tecnológico provoca a fome e o desemprego estrutural.
b) explica que o crescimento populacional será reduzido com a urbanização.
c) afirma que a fome é provocada pela desigualdade socioeconômica entre as pessoas.
d) relaciona crescimento populacional com a fome.

Questão 04 – (Ufrn) Para a explicação do crescimento da população e de sua relação com o desenvolvimento, algumas teorias foram formuladas: malthusiana, reformista e neomalthusiana. Os adeptos da teoria reformista:

a) consideram que o rápido crescimento demográfico exerce pressão sobre os recursos naturais, sendo um sério risco para o futuro da humanidade.
b) defendem a necessidade de reformas socioeconômicas que permitam a elevação do padrão de vida da população.
c) defendem que o alto crescimento demográfico é causa da pobreza generalizada, sendo imprescindíveis reformas políticas rígidas de controle da natalidade.
d) consideram o descompasso entre a população e os recursos necessários para a sua sobrevivência como causa para a existência da miséria do mundo.

Questão 05 – Quais dos slogans abaixo poderia ser utilizado para defender o ponto de vista neomalthusiano?

a) "Controle populacional – nosso passaporte para o desenvolvimento."
b) "População abundante, país forte!."
c) "Sem reformas sociais, o país se reproduze não produz."
d) "O crescimento gera fraternidade e riqueza para todos."
e) "Justiça social, sinônimo de desenvolvimento."

Questão 06 – (Ufpe) Um estudo sobre a dinâmica e a distribuição da população de uma determinada área é realizado a partir do conhecimento e da compreensão dos seus indicadores demográficos. Em relação a alguns desses indicadores, analise as proposições abaixo.

Coloque (V) nos enunciados que seja(m) verdadeiro(s) e (F) para as que estejam Falsas.

( ) A densidade demográfica é obtida a partir da divisão da superfície territorial de um lugar pela sua população absoluta.
( ) O crescimento vegetativo é calculado com base nas taxas de natalidade, mortalidade e migração.
( ) O superpovoamento de uma área não é identificado apenas pela densidade demográfica mas também pelas condições socioeconômicas existentes.
( ) A taxa de mortalidade infantil identifica o número de óbitos de crianças menores de um ano.
( ) A taxa de fecundidade é um indicador populacional que influencia diretamente o comportamento de um outro indicador, o da natalidade.

Resposta:

Questão 07 – (UFRGS) Sobre a estrutura etária de uma determinada população e sua respectiva representação gráfica, considere as seguintes afirmações:

I – A pirâmide etária revela importantes aspectos da situação sócio-econômica de uma população
II – O declínio nas taxas de natalidade causa um estreitamento na base da pirâmide
III – A redução nas taxas de mortalidade e o conseqüente aumento da expectativa de vida são representados pelo alargamento da base da pirâmide.

Quais estão corretas?

a) Apenas I
b) Apenas II
c) Apenas III
d) Apenas I e II
e) Apenas I, II e III

Questão 08 – (UEL) Leia os Textos I e II e responda às próximas 3 questões.

Texto I
Thomas Malthus (1766-1834) assegurava que, se a população não fosse de algum modo contida, dobraria de 25 em 25 anos, crescendo em progressão geométrica, ao passo que, dadas as condições médias da terra disponíveis em seu tempo, os meios de subsistência só poderiam aumentar, no máximo, em progressão aritmética.

Texto II
A idéia de um mundo famélico assombra a humanidade desde que Thomas Malthus previu que no futuro não haveria comida em quantidade suficiente para todos. Organismos internacionais – Organização das Nações Unidas, Banco Mundial e Fundo Monetário Internacional – chamaram a atenção para a gravidade dos problemas decorrentes da alta dos alimentos. O Banco Mundial prevê que 100 milhões de pessoas poderão submergir na linha que separa a pobreza da miséria absoluta devido ao encarecimento da comida.

(Adaptado: FRANÇA, R. O fantasma de Malthus. Veja. 23 abr. 2008.)

Para K. Marx (1818-1883), a teoria malthusiana do crescimento populacional:

a) permitia entender, de modo científico, as razões pelas quais os proletários teriam dificuldades para ascender socialmente.
b) apresentava as bases adequadas sobre as quais se deveria elaborar a teoria do valor trabalho.
c) reforçava valores da burguesia ascendente que, posteriormente a 1848, assumia posições cada vez mais conservadoras.
d) era o primeiro passo na construção de uma teoria explicativa do real caráter de classe da sociedade burguesa.
e) apreendia a essência do proletariado moderno e os motivos pelos quais a classe burguesa estaria fadada a desaparecer.

Questão 09 – Assinale a alternativa que identifica os fatores causadores da escassez de alimentos apontados pelos Textos I e II, respectivamente.

a) Limites naturais e crescimento demográfico acelerado.
b) Elevação dos custos de produção dos alimentos e empobrecimento
da população.
c) Pauperização dos solos e subdesenvolvimento.
d) Controle de natalidade e explosão demográfica.
e) Produção insuficiente de alimentos e elevação dos preços dos alimentos.

Questão 10 – Com base nos Textos I e II e nos conhecimentos sobre o tema da fome no mundo, considere as afirmativas.

I. Nas previsões sobre o problema da fome, contidas nos Textos I e II, estão excluídas considerações sobre a heterogeneidade socioespacial desse problema na escala mundial.
II. No Texto I, a explicação sobre as causas da escassez de alimentos baseia-se em uma combinação de fatores dentre os quais está ausente a evolução da produtividade no setor primário da economia.
III. No Texto II, o crescimento populacional que culminará no aumento de 100 milhões de pessoas pobres no mundo é apontado como o responsável pela expansão da fome.
IV. No Texto II, para os organismos internacionais, as previsões de Malthus se confirmaram, pois a atual expansão do número de famélicos se deve à insuficiência estrutural da produção mundial de alimentos.
Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

Questão 11 – UNIFAL)
“O crescimento demográfico não é causa primeira do subdesenvolvimento, mas ele contribui poderosamente para o desenvolvimento das contradições econômicas, sociais e políticas. O número de camponeses sem terra e dos desempregados não cessa de crescer, certamente para o maior lucro, a curto prazo, dos industriais e proprietários fundiários, mas as tensões sociais não param de se ampliar. O aumento da população não é excessivo senão em relação a um crescimento econômico restrito, e o impulso demográfico não teria tomado tal velocidade e engendrado tais dificuldades se a natalidade tivesse progressivamente sido reduzida pelos efeitos de um desenvolvimento econômico e social.”

Adaptado de Lacoste, Ives. Geografia do subdesenvolvimento. 7 ªed. São Paulo: Difel, 1985. p.119-126.
A partir desse fragmento e das teorias sobre esse assunto, considere as afirmativas abaixo.

I - O autor retrata as idéias da teoria neomalthusiana, que se caracteriza pela explícita oposição às idéias malthusianas.
II - O autor propõe a adoção de uma política antinatalista rigorosa sem a qual não seria possível o desenvolvimento socioeconômico.
III - A solução para os problemas sociais e econômicos não pode basear-se, unicamente, na limitação dos nascimentos e, sim, em uma melhor distribuição de renda, o que melhora a qualidade de vida da população.

Marque a alternativa correta.



a) Apenas I e II estão corretas.
b) Apenas II está correta.
c) Apenas III está correta.
d) Apenas I e III estão corretas.

Questão 12 – (FUVEST) " O crescimento populacional contemporâneo é responsável pela estagnação econômica do Terceiro Mundo."

" Os altos investimentos demográficos desviam os escassos recursos de capital do investimento produtivo."

" O planejamento familiar visa alterar as taxas de fertilidade sem precisar modificar as estruturas fundamentais da sociedade."

Estas afirmações integram uma doutrina demográfica:

a) terceiro-mundista.
b) neo-marxista.
c) neo-malthusiana.
d) muçulmana-xiiita.
e) clerical-progressista.

Bons estudos

ATENÇÃO

1. (UNISA) As declarações oficiais dos diversos governos do Brasil, em torno da necessidade de povoar o território brasileiro; as concessões de legislação trabalhista brasileira, como salário-família, o auxílio maternidade etc. levam a concluir que o Brasil adota uma política demográfica:
a) Neomalthusiana;
b) Natalista ou populacionista;
c) antinatalista;
d) contrária à teoria de Malthus;
e) contrária ao crescimento vegetativo.

2. (UNIVALE) Sobre a ‘população’ a alternativa verdadeira é:
a) Densidade demográfica é a divisão da população relativa pela área do local.
b) A população relativa é o número total de habitantes de um local.
c) Pode-se chamar uma área ou região de populosa quando ela possui uma grande população absoluta.
d) As áreas onde a população absoluta é grande são chamadas de áreas de grande concentração populacional.
e) As áreas anecumênicas são aquelas de grande concentração populacional. Geralmente são áreas urbanas, de grande concentração industrial.

3. UNISA) A capacidade de crescimento da população é infinitamente maior do que a capacidade de produção de alimentos na Terra. Esse é o enunciado básico da doutrina de Malthus, que consiste no seguinte princípio:
a) progressão aritmética da população e progressão geométrica dos alimentos.
b) progressão geométrica da população e alta taxa de natalidade.
c) progressão aritmética da população e baixa taxa de mortalidade.
d) progressão geométrica da população e progressão aritmética dos alimentos industrial


Aula 13 e 14 (7ª semana de aula de (12 á 16 de 03 de 2012)
Assunto: ESTRUTURA ou COMPOSIÇÃO da População Mundial 


Objetivo da aula:
- Definir pirâmide etária;
- Definir grupo etário;
- Interpretar uma pirâmide etária;
- Definir políticas demográficas;
- Relacionar as políticas demográficas com o nível de desenvolvimento de um país.
- Indicar medidas que estimulem a natalidade.
- Indicar medidas que combatam a natalidade



Olá! pessoal !!! Tudo bem?

Hoje vamos iniciar um dos últimos assunto tratado no estudo da Dinâmica Populacional. Tratam-se do estudo sobre a ESTRUTURA ou COMPOSIÇÃO da população mundial. Nessa aula vamos definir pirâmide etária;
definir grupo etário; interpretar uma pirâmide etária; definir políticas demográficas; relacionar as políticas demográficas com o nível de desenvolvimento de um país e indicar medidas que estimulem a natalidade.
Indicar medidas que combatam a natalidade



Noções preliminares:
O número total de habitantes de uma cidade, país ou região, por si só tem grande significado. Pois nos revela, por exemplo, se esse lugar é populoso ou pouco populoso. Mas nada mais.  Ele na verdade não nos revela nada acerca da dinâmica populacional de um determinado local. Isto é, ele não nós revela nada acerca das condições de vida dessa população. É apenas um número bruto. Certo???


Mas quando aliamos esses números a outros dados populacionais, como os da economia, da saúde, da educação, da habitação, dos transportes, da produção de alimentos entre outros, poderemos traçar um perfil dessa população. Esse perfil chamamos de estrutura da população.





Estrutura da População

 O estudo da estrutura da população pode ser dividido em três categorias:

- número, sexo e idade dos habitantes – esses dados, obtidos pelo censo demográfico, são expressos em um gráfico chamado pirâmide de idades;

- distribuição da população economicamente ativa (PEA) por setores econômicos: primário, secundário e terciário;

- distribuição de renda.

A Pirâmide das Idades

Gráfico populacional que leva em consideração a estrutura sexual da população (homens e mulheres) e as faixas etárias - 0 à 19 anos jovens, 20 à 59 adultos, e 60 ou + anos idosos.

A estrutura da pirâmide é a seguinte:
- Base: corresponde aos jovens.
- Meio: corresponde aos adultos.
- Topo ou ápice: corresponde aos idosos.



IMPORTANTE:

De acordo com  o grau de desenvolvimento econômico de uma população, tem-se ai o seu perfil, por exemplo: os países desenvolvidos e os países subdesenvolvidos como possuem grau de desenvolvimento diferentes, isto é,  estágio econômico diferentes. Suas estruturas populacionais também serão diferentes.

Atualmente, verificam-se fortes contrastes entre a estrutura etária de um país desenvolvido dá de um país em desenvolvimento ou subdesenvolvido.

Exemplificando: A análise das pirâmides nos permite verificar a situação de desenvolvimento  ou subdesenvolvimento dos países.

Observe as pirâmides etárias que se seguem:



nos exemplo acima:

A pirâmide 2 de base larga indica grande crescimento vegetativo; o
topo estreito indica baixa expectativa de vida, o que nos faz concluir que essa
seja de um país subdesenvolvido.

Por outro lado, a piramide 1 que possui uma base mais estreita,
indica pequeno crescimento vegetativo; um topo mais largo indica grande
expectativa de vida, o que nos leva a concluir que seja um país desenvolvido.

OBSERVAÇÃO: A análise das pirâmides etárias é fundamental para os estudos de população.


A PEA e os Setores de Atividades Econômicas

Para organizar esses dados costumam-se levar em conta, de forma aproximada, a relação que existe entre a idade biológica e a idade profissional: PEA (População Economicamente Ativa). juntando essa relação (idade biológica e a idade profissional) a duas importantes variavéis que são: as faxas etária que se dá em função das idades (cada grupo de idades) e sexos dessa população, representando a população do sexo masculino de um lado da pirâmide e a do sexo feminino de outro.

1º realizar uma análise geral desse gráfico, que é a análise das suas principais características. Isto é:
a)      análise da base (estreita, larga, se tem diminuído ou aumentado);
b)      análise do topo ( se comparativamente com a base é largo ou estreito);
c)      as diferenças entre os sexos.
Analise mais detalhada, que explique as características da pirâmide em relação à :
a) natalidade;
b) mortalidade;
c) esperança média de vida;
d)      acidentes demográficos (guerras migrações, epidemias…)

Conclusão, que classifique a população:
a)      jovem;
b)      jovem com tendência para envelhecer;
c)      adulta;
d)      envelhecida;
e)      envelhecida com tendência para rejuvenescer.

IMPORTANTE:
Seu estudo possibilita uma interpretação situacional da população para planejamento socioeconômico. Esses dados sobre a estrutura etária informam a administração de uma cidade ou de um país, por exemplo, quantos empregos precisam ser criados anualmente para que se possa absorver o contingente de mão-de-obra que, a cada ano, chega ao mercado. Podem, ainda, interferir no crescimento demográfico, ora estimulando, caso haja necessidade, ora desestimulando o crescimento por meio de políticas públicas.

IMPORTANTE:
Para representar essas informações, utiliza-se um gráfico chamado de pirâmide etária.
O que é uma Pirâmide Etária?
É uma representação gráfica da composição da população de um lugar em função da idade e do sexo, em um ano determinado. "Esse gráfico é construído marcando-se, na linha da ordenada (vertical), as idades da população de zero até o limite superior (80 anos ou mais); na linha da abscissa, (horizontal) os efetivos da população, ou seja, sua quantidade ou número em cada idade - ou em cada grupo de idades - em valores absolutos ou ainda em percentagem, representando a população do sexo masculino de um lado da pirâmide e a do sexo feminino de outro" (Adas, Melhem. Panorama Geográfico do Brasil: contradições, impasses e desafios socioespaciais. Moderna, p. 488. 2000).
OBSERVAÇÃO:
 - costuma-se dividir a população em três faixas etárias com a finalidade de um melhor planejamento econômico-social. Essa divisão está organizada da seguinte forma: primeiramente a faixa etária que corresponde a população jovem. Seguida pela faixa etária que corresponde a população adulta ou madura e por fim a faixa etária que corresponde a população velha ou senil. Essa divisão, porém, apresenta diferenças quanto aos intervalos de idade de acordo com a conveniência do país ou do organismo interessado.

A pirâmide etária pode ser compreendida ou interpretada a partir de suas três partes:
  1- A base - É a parte inferior da pirâmide, onde está relacionada a população jovem (0 - 14 anos ou 0 - 19 anos).
  Corresponde a -População jovem: é própria de países subdesenvolvidos, pois estes possuem altas taxas de natalidade e baixa expectativa de vida.

  2- O corpo - É a porção intermediária da pirâmide, onde está representada a população adulta (15 a 59 anos ou 20 a 59  anos).
  Corresponde a  -População madura ou adulta: caracteriza os países desenvolvidos jovens que ainda não completaram a transição demográfica. Possuem baixa taxa de natalidade e de mortalidade, baixo crescimento vegetativo.

  3- O cume, o ápice ou o pico - É a porção superior da pirâmide, onde está representada a população idosa ou velha (igual ou acima de 60 anos).
 Corresponde a  -População envelhecida: corresponde aos países desenvolvidos antigos que já completaram a transição demográfica. Possuem elevada expectativa de vida e crescimento vegetativo baixo, nulo ou negativo, tendo suas pirâmides estreitas na base e com o topo bem largo.(Positivo,2005)

Concluindo:
A pirâmide etária é também um histograma e é muito utilizada em análises demográficas por permitir visualizar numa única imagem a distribuição da população por idades e simultaneamente compará-la entre os dois sexos em um determinado ano. Pode esboçar o perfil demográfico de um país, estado, região ou município, podendo associar-se com seu grau de desenvolvimento e ao seu estágio econômico.
          Os países que apresentam um elevado crescimento vegetativo, por exemplo, os subdesenvolvidos, apresentam uma estrutura etária jovem, ao mesmo tempo em que os que apresentam um moderado crescimento demográfico, os desenvolvidos, apresentam uma estrutura etária adulta e velha, devido à baixa taxa de natalidade.

ESTRUTURA ETÁRIA DA POPULAÇÃO e a PIRÂMIDE ETÁRIA

 
COMO VIMOS A pirâmide etária é um gráfico que nos permite estudar, analisar, apresentar ou representa a estrutura de uma determinada população.

Observação: nesse tipo de gráfico, cada uma das metades representa um sexo (Homens/Mulheres) e está dividida em três grupos etários: jovens ( 0-14 anos) ; adultos (15-64anos) ; idosos (a partir do 65 anos). Isto é sexo e idade. Certo!!???

Além dessas divisões acima mencionadas ela ainda está dividida em:
1. Base: Parte inferior que representa a população jovem;
2. Abcissa: Quantidade de pessoas;
3. Ordenada: representa as faixas de idade;
4. Corpo: Parte intermediária que representa a população adulta;
5. Cume ou ápice: Parte superior que representa a população velha.


Análise de pirâmides etárias
Na análise de uma pirâmide etária deve fazer-se sempre uma Introdução:
- que refira a escala de análise (país, distrito, região, concelho…), a fonte e o ano a que corresponde a informação;


Existem quatro tipos de pirâmides etárias, classificadas quanto à sua forma:

-Pirâmide Jovem ou crescente: Base larga e topo estreito, país pouco desenvolvido com Taxa de Natalidade elevada e baixa esperança média de vida
-Pirâmide Adulta ou Transição: Zona central tão larga quanto a base, país em desenvolvimento com uma ligeira quebra na Taxa de Natalidade
-Pirâmide Idosa ou Decrescente: Base estreita e Topo largo, país desenvolvido, baixa Taxa de Natalidade e elevada esperança média de vida
-Pirâmide rejuvenescente: Idêntica à Idosa, ligeiro aumento na largura da Base fruto das políticas natalistas

 Atividade de Fixação                                               
1. Observa as estruturas etárias representadas nas Figs.1 e 2.

1.1 Imprime e pinta, nas Figs.1 e 2, de verde, as barras dos jovens, de azul, as dos adultos e, de amarelo, as dos idosos.

1.2 Completa, a partir das Figs.1 e 2, cada afirmação com o país (A ou B) que lhe corresponde.

a) A taxa de natalidade é mais elevada no país _____________ .
b) A esperança média de vida é mais baixa no país ___________ .
c) Há classes etárias ocas na pirâmide etária do país ___________ .
d) Verifica-se um forte crescimento demográfico no país _____________ .
e) A percentagem de população idosa é mais baixa no país ____________ .
f) Na pirâmide etária do país _____________ está representada uma população envelhecida.
g) O país _____________ é o Níger e o país _____________ é a Itália.

1.3 Justifica, com base nas Figs. 1 e 2, as opções que tomaste anteriormente nas alíneas:

a) __________________________________________________________
_____________________________________________________________ ___________________________________________________________
b) ___________________________________________________________
______________________________________________________________
___________________________________________________________

1.4 Indica o país onde é mais provável que se verifiquem os seguintes problemas socioeconômicos.

a) Diminuição da população ativa.
b) Maior taxa de desemprego.
c) Maiores carências na saúde e na educação.
d) Grande aumento dos encargos sociais com os idosos.

1.5 Refere o país onde mais se adéquam as seguintes medidas natalistas e anti-natalistas.

a) a pirâmide 1 traduz a estrutura etária de idade e sexo de um país desenvolvido do tipo europeu ocidental, e a 2 a estrutura de um país subdesenvolvido do tipo latino-americano.

b) a pirâmide 1 representa a estrutura de idades e sexo típica de países africanos, com altas taxas de mortalidade infantil.

c) as duas pirâmides representam estruturas de países nos quais os adultos são mais numerosos do que os jovens de até vinte anos somados aos idosos de mais de sessenta anos.

d) a pirâmide 2 é típica de países europeus e do Japão, que vem implementando fortes políticas de expansão da natalidade após a Segunda Guerra Mundial.

e) a pirâmide 2 se aplica aos países socialistas e a pirâmide 1 corresponde, mais proximamente, à estrutura de países capitalistas subdesenvolvidos.

Boa Sorte!


a) Aumento da duração da licença de parto.
b) Redução dos impostos para as famílias mais numerosas.
c) Esterilização masculina e/ou feminina.
d) Maior divulgação dos métodos contraceptivos.
e) Aumento dos abonos de família.


Questão 02 –. (UFOP) Todo país, seja subdesenvolvido ou desenvolvido, possui uma população economicamente ativa – PEA. Sobre a definição de PEA, assinale a afirmativa INCORRETA.

a) O conceito de PEA abrange todas as pessoas que trabalham e também as que estão temporariamente desempregadas.
b) O conceito exclui a população formada por aposentados, donas-de-casa, empregadas domésticas e estudantes.
c) A PEA é constituída pela população adulta que desempenha uma atividade no mercado formal de emprego.
d) A PEA é constituída pelas pessoas que integram o sistema produtivo e constituem a força de trabalho de um país.

Questão 03 –. (Cesgranrio) Observando as pirâmides etárias abaixo, pode-se concluir que:

2 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...